Bioprospecção e Turismo Ecocientífico na Serra do Brigadeiro

O termo turismo ecocientífico é recente e deriva do ecoturismo, uma modalidade de passeio que vem ganhando grande número de adeptos nos últimos anos, principalmente devido aos alardes de catástrofes ambientais ao redor do mundo.

Turismo ecocientífico pode ser definido como o contato do ser humano a um ambiente natural, com o objetivo de conhecê-lo profundamente. O foco principal de quem pratica turismo ecocientífico é desenvolver pesquisas e estudos sobre determinados ecossistemas, e está diretamente relacionado à atividade científica.

Esse conhecimento profundo de um ambiente é extramente favorável à  instalação de programas que visem à preservação e à bioprospecção de um local. Nessa ótica, foi implantado o BioPesb, um programa do Departamento de Bioquímica da Universidade Federal de Viçosa, com atuação no Parque Estadual da Serra do Brigadeiro.

A Serra do Brigadeiro, que fica no norte da Zona da Mata de Minas Gerais, é conhecida pela sua riquíssima biodiversidade. O Parque Estadual converge uma área de nove municípios: Araponga, Ervália, Rosário da Limeira, Muriaé, Miradouro, Fervedouro, Divino, Sericita e Pedra Bonita. Sua área total é de aproximadamente 3.000 Km², o que corresponde a 8,5% da superfície da Zona da Mata mineira. Quatro dos montes mais altos de Minas Gerais estão situados lá: os Picos do Soares, Grama, Itajuru e Boné.

O programa de bioprospecção e turismo ecocientífico exercido pelo BioPesb visa a explorar a área da serra, fazendo descobertas de novas espécies de vegetais e animais, bem como a procura por compostos químicos, genes, micro e macrorganismos e outros elementos naturais disponíveis, que podem ser base para a criação de novos produtos as indústrias farmacêutica e biotecnológica.

O BioPesb também tem um trabalho especial com os macacos Muriquis, os maiores primatas das Américas, bem presentes na região do parque estadual. Essa espécie está entre as 25 mais ameaçadas de extinção no mundo. Ao todo, acredita-se que existem 500 Muriquis hoje na Terra. Destes, 10% vivem na Serra do Brigadeiro.