Muriqui

O macaco Muriqui, atualmente dividido em duas espécies (Brachyteles arachnoides e Brachyteles hypoxanthus) é um primata endêmico da Mata Atlântica. Podendo medir até 1,50m e ter uma cauda de 1m, o Muriqui é, em tamanho corporal, o maior macaco do continente americano. Ele pode ser encontrado nos fragmentos de Mata nos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

Devido à caça e, principalmente, à redução do seu habitat natural, hoje o Muriqui é uma das 25 espécies mais ameaçadas de extinção no mundo inteiro. Acredita-se que a população total de Muriquis não ultrapassa 500 indivíduos. Cerca de 10% desse total pode ser encontrado na Serra do Brigadeiro. Lá já foi evidenciada a existência de vários grupos de Muriquis.

A Serra do Brigadeiro foi citada pelo pioneiro da pesquisa de Muriquis, Álvaro Coutinho Aguirre, da Academia Brasileira de Ciência, em 1971, como sendo, naquela época, uma das poucas áreas onde o Muriqui existia.

Os Muriquis são mamíferos herbívoros que se alimentam, principalmente, de frutas, flores e folhas. Com astúcia e agilidade, os Muriquis usam o fácil deslocamento entre galhos para sua proteção. Eles conseguem saltar de uma altura de dez metros, equivalente a um prédio de três andares.